7 Coisas Que Você Não Sabia Sobre o Tom Jobim

No dia 25 de janeiro de 2017, se ainda estivesse entre nós, o maestro soberano, Tom Jobim, estaria completando noventa anos. Em sua homenagem, fiz uma seleção de sete curiosidades que você não sabia sobre o Tom Jobim.

 

Antonio Carlos Jobim, aos sete meses, com os pais Nilza Brasileiro de Almeida e Jorge de Oliveira Jobim. 1927. Foto: Instituto Antonio Carlos Jobim
Antonio Carlos Jobim, aos sete meses, com os pais Nilza Brasileiro de Almeida e Jorge de Oliveira Jobim. 1927. Foto: Instituto Antonio Carlos Jobim

1 – Jorge Jobim, um literata

Jorge de Oliveira Jobim, nascido em São Gabriel, no dia 23 de abril de 1889,foi escritor e diplomata. Conheceu Nilza, mãe de Tom, quando ela havia se mudado com a família para Porto Alegre, quando seu pai, capitão Azor, foi atender o pedido dos militares e dirigir minas de carvão. Jorge tinha 36 anos e Nilza, quinze. 

Nos registros da Biblioteca Nacional, há quatro coletâneas elaboradas em parceria com Alberto de Oliveira, também poeta, entre elas uma sobre Machado de Assis e outra sobre poetas brasileiros. A última coletânea, Ó Minha Infância, elaborada apenas por Jorge, há uma dedicação ao filho: para o meu Antonio Carlos ler quando tiver oito anos.

Jorge Jobim morreu na Casa de Saúde Dr. Eiras, em Botafogo, quando o Tom tinha oito anos. Deixando para seu amigo, Oswaldo Teixeira, um poema para seus filhos intitulado: A felicidade. 

Noel Rosa
Noel Rosa

2- Tom Jobim e Noel Rosa

Tom nasceu no dia 25 de janeiro de 1927, terça-feira, 23h15min, na Rua Conde de Bonfim, 634. Tijuca. Apesar do parto ter sido demorado, há algo muito curioso sobre o acontecimento. O médico responsável pelo parto era o Dr. Graça Mello, só queria saber de tomar café, fazendo o tio de Tom, Marcelo, recorrer a vizinhança pedindo água para o café. Apesar de toda a correria, Tom nasceu saudável, quatro quilos e sessenta centímetros, porém nasceu com um lado do queixo afundado, assim como outro bebê que o Dr. Graça Mello ajudou a vir o mundo, chamado Noel de Medeiros Rosa, no dia 11 de dezembro de 1910. O queixo do Tom logo voltou ao normal, o de Noel, causado pelo uso do fórceps.

Tom na época em que atravessou a Lagoa Rodrigo de Freitas, foto: Instituto Antonio Carlos Jobim
Tom na época em que atravessou a Lagoa Rodrigo de Freitas, foto: Instituto Antonio Carlos Jobim

3 – Tom , o esportista

Tom era capoeirista, jogava vôlei na praia (foi assim que ele conheceu sua primeira esposa),além de outros esportes de praia, tom atravessou a Lagoa Rodrigo de Freitas a nado. Praticava esportes frequentemente até o dia em que ao fazer uma pirâmide com os amigos na praia, escorregou e ao cair, fraturou uma apófise que lhe rendeu dores ciáticas intermináveis.

Antonio Carlos Jobim com os filhos Paulo Jobim e Elizabeth Jobim, na rua Codajás, no Leblon. 1967. Foto: Instituto Antonio Calos Jobim
Antonio Carlos Jobim com os filhos Paulo Jobim e Elizabeth Jobim, na rua Codajás, no Leblon. 1967. Foto: Instituto Antonio Calos Jobim

4 – Quebra de acordo

Tom conheceu Thereza Hermanny, sua primeira esposa, quando ele tinha 15 anos, durante uma tarde na praia. O namoro, repleto de indas e vindas acabou resultando em casamento. Na festa, garçons dos bares que ele frequentava ajudaram, fotógrafos que eram amigos, com a colaboração de todos se tornou uma grande festa, em 1949. Tom tinha 22 anos e Thereza, 19. Arthur, pai de Thereza, e Celso Frota Pessoa, padrastro de Tom, fizeram um acordo em que o casal recém-casado não poderia ter filhos durante cinco anos, até Tom completar os estudos. O acordo foi quebrado, Paulo Jobim nasceu no dia 4 de agosto de 1950. 

Ary Barroso, Tom Jobim, Ronaldo Bôscoli e Carlos Lyra. 1960. Foto: Instituto Antonio Carlos Jobim
Ary Barroso, Tom Jobim, Ronaldo Bôscoli e Carlos Lyra. 1960. Foto: Instituto Antonio Carlos Jobim

 

5- De Antonio Carlos Jobim para Tom Jobim

De batismo se chamava Antonio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim, pela irmã era chamado de Tom, devido a uma canção francesa que a mãe Nilza cantava para ninar os filhos. Mas no início da carreira, ainda pretendia se chamar Antonio Carlos Jobim, precisou de um Ary Barroso, em um encontro na praia, para convencer ao Tom que era uma luta inútil, e que ninguém o chamaria de Antonio Carlos, de Tom era mais fácil. E não preciso dizer que ninguém é louco de ir contra o Ary, certo? Ambos ficaram tão próximos, que Tom foi uma das três pessoas que Ary pediu que o visitasse em seu leito de morte.

 

Antonio Carlos Jobim tocando violão junto a primeira esposa, Thereza Otero Hermanny, com a filha Elizabeth Jobim no colo e o filho Paulo Jobim ao piano, na rua Nascimento Silva, 107, em Ipanema. 1959
Antonio Carlos Jobim tocando violão junto a primeira esposa, Thereza Otero Hermanny, com a filha Elizabeth Jobim no colo e o filho Paulo Jobim ao piano, na rua Nascimento Silva, 107, em Ipanema. 1959. Foto: Instituto Antonio Carlos Jobim

 

 

6- Rua Nascimento Silva, 107

Eternizada na música de Vinicius de Moraes, Carta ao Tom de 74, onde o poetinha relembra os primórdios da Bossa, outra grande música foi composta no apartamento.  Olhando pela janela de seu apartamento, Tom compôs Corcovado, que foi levada ao mundo pelo título de Quiet Nights of Quiet Stars, na voz de Frank Sinatra. Acontece que Tom fez uma viajem para Poço Fundo, onde costumava se refugiar por alguns dias para descansar,  quando voltou, descobriu que não podia mais ver o Corcovado de sua janela. Posteriormente fez uma paródia de Carta ao Tom de 74, apresentada no Canecão, onde cantava: minha janela não passa de um quadrado, onde só se vê concreto armado, onde antes se via o Redemptor...

Com violão e ao lado de Vinicius de Moraes, na região onde a nova capital federal estava sendo erguida, próximo ao Museu do Catetinho, a primeira residência presidencial de Brasília. 1960
Com violão e ao lado de Vinicius de Moraes, na região onde a nova capital federal estava sendo erguida, próximo ao Museu do Catetinho, a primeira residência presidencial de Brasília. 1960

 

7- A maior parceria da história da música brasileira

Em 1956, enquanto tomava uma cerveja na Casa Villarino, no Centro do Rio, Lúcio Rangel que estava sentado com Vinicius, indicou o Tom Jobim, na mesa ao lado, como a solução para o problema de Vinicius: encontrar alguém que fizesse a parte musical da peça Orfeu da Conceição. Tom, com seu jeitinho de sempre, perguntou se havia algum “dinheiro” envolvido, foi repreendido por Lúcio que ficou irritado ao imaginar por que alguém perguntaria algo desse tipo a Vinicius de Moraes. Mas precisamos entender, aluguel ainda atormentava o jovem Tonzinho. O fato é que a peça virou um sucesso, que rendeu um filme, que não gerou dinheiro para o Tom e nem para o Vinicius, o que é uma outra longa história, mas o filme ganhou um Oscar que nunca chegou ao Brasil, porém, fez com uma que moça do interior dos E.U.A se mudasse para o Havaí e enquanto estudava, namorou um jovem negro, e dessa relação nasceu Barack Obama, o primeiro presidente negro dos Estados Unidos. Não é mentira, Obama conta isso em sua biografia. 😉

 

Qual dessas curiosidades você mais gostou? Já conhecia alguma? Comente abaixo pois eu quero saber tudo!

 

 

Facebook Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *