Juliana Fiúza/ dezembro 11, 2019/ Blog/ 0 comments

Em 11 de dezembro de 1910 nascia Noel de Medeiros Rosa, em um chalé na Rua Teodoro da Silva, para logo mudar a história da música brasileira. Conheça a história do maior sambista de todos os tempos.

Doodle do Google em homenagem aos 109 anos de Noel Rosa

Noel nasceu enquanto a Revolta da Chibata assolava o Rio de Janeiro. Como era esperado que nascesse próximo ao dia de Natal, seu nome foi inspirado no bom velinho, e mesmo tendo antecipado sua vinda ao mundo, a homenagem permaneceu.

O médico, Dr. José Rodrigues da Graça Mello, foi o mesmo que trouxe, 17 anos depois, outro grande músico que mudou a história da música brasileira: Antonio Carlos Jobim.

Na juventude estudou no Colégio São Bento, entre 1923 e 1928, através de um bolsa de estudos. Como esperado, foi um péssimo aluno: além de não se dedicar aos estudos, costuma implicar com os professores e colegas de classe. Além de fugir da aula constantemente para jogar futebol.

Após sair do São Bento, Noel frequentou a Faculdade de Medicina na Praia Vermelha, repetindo os mesmos hábitos escolares na época do São Bento. Não demorou muito para abandar a carreira e se dedicar ao samba.

Prefiro ser um bom sambista a ser um mal médico.

Entre 1930 e 1931 Noel já havia escrito mais de trinta composições. Em 1932 começou a trabalhar no Programa do Casé como contra-regra, trabalho que desempenhou com grande eficiência. Não só contribuiu para o sucesso do programa, como escrevia e reescrevia música para/de seus colegas, além de ajudar na criação de sketchs e quadros musicais.

Quando os concursos de carnavais se iniciam em 1932, Noel criou para o evento cerca de trinta músicas, entre elas, as famosas “Coisas Nossas”, “Fita Amarela”, “Mulher Indigesta” e “Pulo da Hora”.

Rafael Raposo e Camila Pitanga como Noel Rosa e Ceci, no filme “Noel – Poeta de Vila” do diretor Ricardo van Steen, em 2006.

Em 1934, no mesmo ano que descobre sua doença, ele conheceu o amor da sua vida, Ceci, apesar de já estar casado com Lindaura há um ano. Este ano foi, particularmente, importante para Noel. Ele deixa de vender seus sambas para Chico Alves após discutir com ele sobre uma atitude preconceituosa do famoso crooner. Noel também compôs neste mesmo ano o incomparável samba “O Orvalho Vem Caindo”.

Em 1936 surge a desavença com Wilson Batista que foi ao ar pelas rádios. A desavença era mais presente pelo lado do Wilson, que via uma forma de criar uma carreira em cima de Noel, que pouco se dedicou a revidar. O famoso “Feitiço da Vila”, é erroneamente colocado no meio da briga, o samba foi composto para uma jovem que ganhou o concurso de Miss do Rio, naquele ano, e que era de Vila Isabel.

noel rosa
A última foto de Noel Rosa

Em 4 de maio de 1937 Noel faleceu aos 26 anos, vítima da tuberculose. Deixando mais de 76 marchinhas escritas e duzentos sambas. Obviamente, este número é cotado através dos sambas registrados de Noel, porém, ele tinha o grande costume de escrever samba para os amigos, de graça, sem se preocupar com seus créditos.

“O Rio de Noel Rosa” é o título de um walking tour realizado por mim, todo primeiro sábado do mês. Para saber as próximas datas, basta acessar a agenda aqui no site.

O filme “Noel – Poeta da Vila” está disponível no youtube, assista aqui.

Fonte: Noel Rosa: uma biografia. João Máximo e Carlos Didier.

Share this Post

About Juliana Fiúza

Juliana Fiúza é guia de turismo e empresária em sua agência, Papo de Guia. Mora no Rio de Janeiro, é estudante de letras, apaixonada por música, literatura, cultura pop e papelaria.

Deixe um comentário

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*